da ponta dos dedos

.posts recentes

. Clone

. Realidade digital

. California Ruins

. Crescer

. Tomar balanço

. Mais música

. A ilha do pessegueiro

. Abrir horizontes

. Fábula do Peixinho e do S...

. Às Armas

.arquivos

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

Sexta-feira, 22 de Julho de 2005

O Homem do Pão

Há alguns anos (4 talvez) comecei a encontrar, ocasionalmente, numa das zonas mais movimentadas de Lisboa um homem a distribuir pão montado numa bicicleta. Fiquei intrigada... O que faz um homem curvado e de cabelos já tão brancos, andar perigosamente no meio do trânsito com uma bicicleta carregada com dois alforges de pão? Ainda por cima, só o encontrava quando estava soxinha e cheia de fome. Cheguei e interrogar-me se não seria só uma ilusão... Nenhum dos meus amigos o tinha visto e todos nós passávamos nas mesmas ruas. Podia ser a fome a iludir-me. Podiam ser as saudades de casa a trazer um velhinho simpático, de pele muito branca e faces rosadas. atravessar a avenida.JPG Mas não. Ele existe e ainda hoje continua a distribuir pão com a sua bicicleta. Agora até sei qual a padaria para que trabalha e cruzo-me com ele todas as manhãs. No meio de tanta gente que passa naquela rua, no meio de obras tão sofisticadas que agora lá estão a fazer, lá está ele com a sua bicicleta carregada de pão. E agora, que compreeendo melhor Lisboa, percebo que este homem a distribuir pão é a face visível de uma Lisboa provinciana que habita escondida por detrás de uma capa cosmopolita.

publicado por Ana Teresa Fernandes às 12:37

link do post | comentar | favorito
|

.eu

.pesquisar

 

.links

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds