da ponta dos dedos

.posts recentes

. Clone

. Realidade digital

. California Ruins

. Crescer

. Tomar balanço

. Mais música

. A ilha do pessegueiro

. Abrir horizontes

. Fábula do Peixinho e do S...

. Às Armas

.arquivos

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

Terça-feira, 26 de Setembro de 2006

Outono

Chega o frio e as primeiras chuvas. As folhas secas das árvores começam a inundar as ruas. Chega o Outono. Os dias já começam a ficar mais curtos, a seguir vão ser as camisolas de lã a sair da gaveta. Começam a apetecer os fins de tarde sossegados enquanto se olha pela janela e se bebe um leite com chocolate quentinho. Deixo-vos com um fado para receber esta estação.

A ouvir:
A minha rua
Camané (http://www.camane.em.pt)

PS: Este fado chamou-me à atenção ultimamente, no meio de muitos outros que ouvi recentemente. Porquê este? A sua letra não é particularmente bonita, a sua melodia não excepcionalmente elaborada. Porém, a verdade é que este fado puxou-me para dentro dele como nenhum dos outros. Inundou-me e deixou-me ansiosamente à espera do Verão para "pôr a rua a meu jeito". Não sei bem o que este fado tem para ter em mim tal efeito, mas não posso esquecer, é claro, que tem a voz quente do Camané a cantá-lo.


publicado por Ana Teresa Fernandes às 23:35

link do post | comentar | favorito
|

.eu

.pesquisar

 

.links

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds