da ponta dos dedos

.posts recentes

. Clone

. Realidade digital

. California Ruins

. Crescer

. Tomar balanço

. Mais música

. A ilha do pessegueiro

. Abrir horizontes

. Fábula do Peixinho e do S...

. Às Armas

.arquivos

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

Terça-feira, 13 de Fevereiro de 2007

Da minha arte - ii

Corda Bamba, polímeros e crómio s/ vidro, 2007


publicado por Ana Teresa Fernandes às 11:35

link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 12 de Fevereiro de 2007

Interlúdio

(...) Até que um dia, tão deslumbrado e apaixonado pelo magnífico reflexo que via nas águas, Narciso caiu na lagoa e morreu afogado. (...)

publicado por Ana Teresa Fernandes às 15:52

link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 2 de Fevereiro de 2007

Da minha arte - i

Auto-le-trato

Auto-le-trato, SU-8 s/ Silício cristalino, 2007


publicado por Ana Teresa Fernandes às 11:09

link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 1 de Fevereiro de 2007

#02


Assim se começou um novo ano. Com muito trabalho e pouco tempo livre... entre microfluídos e micropontes, ainda com adsorção de anticorpos e o sensor de quimioluminescência sobra pouco de mim capaz de escrever alguma coisa de interessante.
Mas não foi para estes lamentos que comecei hoje a escrever. A verdade é que depois de mais de um mês à míngua, começo a ficar com uma grande vontade de escrever, de me exprimir de alguma forma mais criativa que notas técnicas e pedidos de cotações.
Recomeço falando da actualidade (o que já não faço há demasiado tempo), falando do que toda a gente fala em todo lado: o referendo.
Agrada-me a mobilização que tenho visto. Não há dia em que de uma maneira ou de outra não acabo por discutir com alguém essa questão. Só espero que isto se traduza numa massiva ida às urnas, e que a escolha dos Portugueses, seja Sim ou Não, possa desta vez ser representativa e usada para legislar.
No último referendo ainda não pude votar, por isso agrada-me, de certa forma, poder com o meu voto dar o meu contributo para resolver esta questão. Mas tirando o facto de no último referendo a abstenção ser exageradamente elevada, não faz sentido andar a repetir o mesmo referendo de 8 em 8 anos. Daqui a 20 anos... aí pode pensar-se nisso porque os que votaram hoje não vão ser os mesmos que votarão em 2027. Até porque corre-se o risco de banalizar o uso do referendo.
Na questão da despenalização do aborto, que envolve questões de ética e decisões pessoais de todos os potenciais pais/mães, faz todo o sentido usar o referendo. É uma questão a que todos somos sensíveis, até hoje ainda não vi ninguém a discutir esta simples pergunta de ânimo leve. É interessante ver que quem é pelo sim debate-se com a mesma força e convicção de quem é pelo não.
Já vai um bocadinho alongado este regresso. Não posso, no entanto, terminar sem pedir que, já que não posso convencer ninguém a concordar comigo e votar como eu, pelo menos posso tentar convencer-vos a ir votar: dia 11 de Fevereiro vai votar no referendo.


publicado por Ana Teresa Fernandes às 22:29

link do post | comentar | favorito

.eu

.pesquisar

 

.links

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds