da ponta dos dedos

.posts recentes

. Clone

. Realidade digital

. California Ruins

. Crescer

. Tomar balanço

. Mais música

. A ilha do pessegueiro

. Abrir horizontes

. Fábula do Peixinho e do S...

. Às Armas

.arquivos

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

Quinta-feira, 17 de Maio de 2007

Maio Maduro Maio

Ai, quem me dera saber cantar. Já há uns tempos que me anda a apetecer cantar-vos um fado. Mas esta minha voz... O fado fica para outro dia. Hoje fica só a letra desta simples canção. Para ir cantando baixinho...

"Maio maduro Maio        
Quem te pintou        
Quem te quebrou o encanto        
Nunca te amou        
Raiava o Sol já no Sul        
E uma falua vinha        
 Lá de Istambul        
Sempre depois da sesta        
Chamando as flores        
Era o dia da festa        
Maio de amores        
Era o dia de cantar        
 E uma falua andava        
Ao longe a varar         
Maio com meu amigo        
Quem dera já         
Sempre depois do trigo        
Se cantará         
Qu'importa a fúria do mar        
Que a voz não te esmoreça        
Vamos lutar         
Numa rua comprida        
El-rei pastor        
Vende o soro da vida        
Que mata a dor         
Venham ver, Maio nasceu         
Que a voz não te esmoreça         
A turba rompe"

Zeca Afonso

publicado por Ana Teresa Fernandes às 23:53

link do post | comentar | favorito

.eu

.pesquisar

 

.links

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds