da ponta dos dedos

.posts recentes

. Clone

. Realidade digital

. California Ruins

. Crescer

. Tomar balanço

. Mais música

. A ilha do pessegueiro

. Abrir horizontes

. Fábula do Peixinho e do S...

. Às Armas

.arquivos

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

Terça-feira, 11 de Setembro de 2007

Tomar balanço

Já lá vão quase dois anos de doutoramento. Está na altura de fazer balanço e escolher o rumo para os dois anos que faltam. Tem corrido bem? Sim e não. Isto da investigação cientifica é duro. E não só pelo trabalho em si.

Investigar é procurar respostas ao que não sabemos. E muitas vezes as respostas não são as que esperamos à partida. Não são o que a teoria demonstra. Isso atraí-me na ciência: tenho de me cingir à verdade dos factos, e é a teoria que tem de se adaptar à realidade. Isto traduz-se em semanas de trabalho perdidas, até se entender que não segui o caminho certo. Significa que depois de passar um dia inteiro no laboratório, chego ao microscópio e os resultados são ao contrário dos da semana passada. Lidar com esta imprevisibilidade não é fácil mas aprende-se.

Estudar, mesmo o que para mim enquanto química/biotecnologa é mais complicado como  física, exige muito tempo, ler e reler os mesmos livros. Mas física também se aprende e no fim até me sinto realizada por perceber o funcionamento de um fotodíodo ou de algo mais complicado como uma spin-valve .

O que tem sido, e continua a ser mais difícil é pensar no futuro. E depois quando o doutoramento acabar? Sentir que vou ser "expulsa" do país. Sei que se for lá para fora me hão-de dar oportunidades de construir uma carreira. Mas ainda me custa encarar o facto de sair para não mais voltar. E mesmo assim, a única coisa que me consegue dar motivação para continuar é o meu "American Dream", ir para a Califórnia, onde as coisas acontecem, onde se inventaram os computadores e a Internet como a conhecemos. Onde há dinheiro para trabalhar.


publicado por Ana Teresa Fernandes às 10:34

link do post | comentar | favorito

8 comentários:
De jdc a 11 de Setembro de 2007 às 12:55


De ana a 11 de Setembro de 2007 às 13:12
:) sonhos com horizontes largos... só custa se pensares que perdes algo com a mudança. pensa que tudo o que tens estará sempre contigo, no teu coração. as memórias da alegria são eternas. voar ao sabor dos ventos da vida torna os sonhos bons realidade ;) digo-o por experiência...


De dottoratoamilano a 11 de Setembro de 2007 às 13:30
Andei há algum tempo a discutir no meu blog o que é investigação em ciência, em particular em matemática.

Gostei e identifiquei-me bastante com o teu texto (menos com a parte dos estados unidos) e como irei colocá-lo no meu blog (usando a modalidade "Blogar isto"). Espero que não te importes.


De Afronauta a 11 de Setembro de 2007 às 15:21
Depois de tanto desabafo, fiquei sem saber qual é o tema da tese!...


De talequalreverse a 13 de Setembro de 2007 às 00:52
Olá,

as coisas acontecem ondenós estamos e onde queremos, pelo menos as boas! Nos Estados Unidos da América há uma enorme aposta e campo aberto para a ciência, nomeadamente para a investigação, o que é novo e útil dá dinheiro, daí os grandes investimentos e merecidos, pois é na investigação que está a solução. Mas sobre isto tu sabes. O que te motiva é o American Dream, onde qualquer pessoa pode ser famosa ou rica, sinceramente é mesmo uma em um milhão, aquilo tem milhões de habitantes.
Compreendo que também por mais que queiras ficar cá, não tens mesmo hipótese, pagas-te e estudas-te e agora deves ser recompensada por isso, pena que não tenhas hipótese em Portugal.
Não vais pelo American Dream para lá, vai por ti, pelos teus valores e sabedoria, fia-te em ti!
Boa sorte e fica esta nota de esperança, talvez daqui a uns anos haja outras oportunidades para o teu campo, até porque digamos que ando a estudar (também) para ver se consigo mudar alguma coisinha :)
BJS


De telma_ a 16 de Setembro de 2007 às 22:29
Olá...
Parabéns pela sua escrita, gosto muito dos seus livros.
É sem dúvida motivo de orgulho para a nossa Madeira!
Beijo


De Ana Teresa Fernandes a 19 de Setembro de 2007 às 18:20
Olá Telma,

Lamento mas eu não sou a escritora conhecida. Simplesmente temos o mesmo nome.
Se calhar tenho de começar a ponderar modar o meu... usar o outro sobrenome para evitar confusões.
De qualquer forma, obrigada pelo comentário (acho eu...?)
Ana Teresa


De Ana Teresa Fernandes a 19 de Setembro de 2007 às 18:27
Gostava de agradecer a todos os que passaram por aqui nos últimos tempos e me deixaram simpáticas palavras de incentivo.
Já agora, o meu doutoramento é em biotecnologia, mais especificamente na interface entra as micro/nanotecnologias e as suas aplicações biológicas. O objectivo final seria o de construir um sensor integrado que permitisse tornar rápidas e portáteis análises de proteínas, como por exemplo alergias. Uma meta difícil, quase como uma miragem.
Obrigada a todos e continuem a aparecer sempre que desejarem.


Comentar post

.eu

.pesquisar

 

.links

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds